21.3.07

Can we start again?, perguntava Stuart Staples, secundado por um coro de mulheres que em vez de lhe responderem ecoavam a pergunta. Retórica, certamente. Nada se começa outra vez. Tudo se transforma, pois.
Obrigado a todos os que escreveram mensagens pela força. Obrigado aos que não escreveram nada mas que ouvem estas cassetes imaginárias. Obrigado ao Francisco, por ser ao mesmo tempo a maior inspiração e o maior activista em favor desta causa que não defende nem proclama nada senão a música. Pouco para dizer, muito para escutar, tudo para sentir. É assim.

2 comments:

Anonymous said...

caramba, receava um péssimo começo de primavera quando vi o post do Francisco e a "ameaça" no Fé Diversa; afinal é tempo de luz, tudo era só um calafrio para nos fazer lembrar que "nada dura para sempre".
um abraço.
carlos

HP said...

"o começo da primavera". nem mais, carlos. nem mais.